O Turismo no Nordeste

O turismo no Nordeste tem sido importante na atração de populações, tendo em vista as múltiplas possibilidades de investimento, a geração de renda e de emprego, a implementação de infraestrutura básica, a existência de paisagens naturais e a melhor qualidade de vida. Esse quadro tem favorecido a dinamização e ampliação de diversas atividades, tais como: o comércio, o setor imobiliário, a prestação de serviços, o setor de transportes, além de aumentar arrecadação de impostos e ampliar o mercado formal e informal de trabalho.

Nesse contexto, é evidente que a atividade turística tem se constituído em um fator importante para a atração de um considerável contingente populacional para a área litorânea nordestina, seja como migrante, na busca de emprego, de melhor qualidade de vida ou para investir no próprio setor turístico ou afim, seja na condição de turista, em busca das paisagens paradisíacas.

O Nordeste é atrativo para diversos tipos de turismo. Para o turismo de praia e resorts, a Região oferece milhares de quilômetros de praias tropicais, muitas das quais apenas parcialmente desenvolvidas, outras ainda inexploradas. São, em média, 300 dias de sol por ano. São incontáveis as praias que o litoral Nordeste oferece. O patrimônio histórico e cultural também é muito rico, destacando-se as cidades coloniais de São Luís e Olinda, consideradas patrimônios culturais da humanidade, e ainda Salvador, primeira capital do Brasil, com sítios históricos recuperados, assim como Recife, área que foi dominada por holandeses no século XVII.

A cidade de Salvador era antigamente chamada de Bahia, inclusive por moradores do próprio estado. Também já recebeu alguns epítetos, como o de "Capital da Alegria", devido a seus enormes festejos populares, como o seu carnaval, e "Roma Negra", por ser considerada a metrópole com maior percentual de negros localizada fora da África. Hoje, volta-se a se chamar Salvador e tem atualmente um lugar no Registro Histórico Nacional por seu rico conjunto arquitetônico, num dos locais mais famosos do estado – o Pelourinho – tombado como Patrimônio da Humanidade, Centro Cultural do Mundo.

Para o turismo ecológico e natural, há no Nordeste áreas privilegiadas, como a Chapada Diamantina, os Parques Nacionais de Sete Cidades, Serra da Capivara e Lençóis Maranhenses, o Delta do Rio Parnaíba - internacionalmente conhecidos por suas belezas e diversidade biológica, além de diversos outros atrativos.

O Nordeste oferece ainda rico folclore e artesanato, gastronomia característica e uma grande diversidade de festas populares, além de condições climáticas extremamente favoráveis (sol o ano inteiro), localização estratégica, próxima aos grandes mercados mundiais e novas potencialidades de bons negócios em agribusiness, turismo, softwares, confecções, indústria de transformação entre inúmeros outros setores.

Por todos esses fatores, pode-se afirmar que o Nordeste disponibiliza algumas das mais interessantes oportunidades de negócios. O desenvolvimento da indústria de turismo no Nordeste comprova a transformação de um potencial rico e diversificado em empreendimentos fortes e rentáveis, que cada vez mais tornam realidade os sonhos de muitos empreendedores e investidores que chegam à Região atraída por sua qualidade de vida e boa infraestrutura.

A expectativa é que a atividade turística e os investimentos em turismo continuarão crescendo nos próximos anos. Em nível nacional, a Região já é destino preferencial da maioria dos brasileiros; para o mercado internacional, é uma alternativa a destinos tradicionais como os resorts do Caribe, com a vantagem de possuir um rico e diversificado acervo cultural - que está, cada vez mais, sendo descoberto por viajantes da Europa, Estados Unidos e América Latina. A movimentação turística do Nordeste tem despertado a atenção dos governos estaduais e federais que através do Programa de Turismo do Nordeste (Prodetur), vêm investindo em infraestrutura, preservação e proteção ambiental, recuperação do patrimônio histórico, sinalização, capacitação e equipamentos turísticos estruturadores.

As ações do Prodetur são financiadas pelo Banco do Nordeste, com repasse de recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID. Os investidores privados consideram a Região vital na sua estratégia de expansão no País. Entre os estrangeiros, os grupos portugueses vêm adquirindo especial destaque. São conglomerados como o Pestana, o Oásis Atlantic Portugal e o Grupo Espírito Santo, entre outros. Outra razão que vem atraindo o capital português -- e também o espanhol, o francês, o inglês e até o nórdico -- é a conjuntura do turismo mundial.

O Nordeste brasileiro, com praias paradisíacas, tornou-se um destino interessante depois que lugares como Tailândia, Caribe e o estado americano da Flórida passaram por desastres naturais (intempéries como furacões e tsunami). Além disso, a valorização de moedas como o euro e a libra esterlina ante o real torna o Brasil um país de custo muito baixo para esses mercados -- não apenas no preço dos terrenos, mas também na mão-de-obra e na manutenção das operações.